domingo, 3 de julho de 2011

XUXA 25 ANOS: O FIM DE UMA PARCERIA DE SUCESSO


Por WALLACE CARVALHO

RIO DE JANEIRO - Quase dez anos depois do rompimento de uma das duplas de maior sucesso da televisão brasileira, ainda não sabemos ao certo quais os verdadeiros motivos que levaram a pupila Xuxa encerrar suas relações profissionais e pessoais com sua mentora Marlene Mattos. O que foi divulgado é que boa parte desse desgaste se deu ao fato de que a loira insistia na ideia de continuar trabalhando para crianças, quando a diretora acreditava que estava na hora da gaúcha focar no público adolescente.
A empresária transformou a gaúcha em uma das celebridades mais importantes do Brasil e do mundo. Em 1991, Xuxa foi eleita pela revista "Forbes" uma das quarenta personalidades mais bem pagas do show business mundial com uma fortuna estimada em R$ 19 milhões. Onze anos depois, a revista "Veja" publicou uma matéria afirmando que o patrimônio da apresentadora havia ultrapassado a casa dos R$ 250 milhões. Sócia da estrela, de 1988 até 1995, Marlene embolsava 20% de tudo que Xuxa faturava, com exceção do salário da loira na Globo e dos lucros obtidos com as vendas de discos. Mas, de 1995 até o fim da parceria, a diretora passou a encher o cofrinho com essas duas fontes de renda da amiga.
Marlene controlava com mão de ferro não só as financias de Xuxa como também sua vida pessoal. Em uma entrevista à Veja pouco antes do rompimento, a apresentadora comentou sobre o excesso de zelo da empresária. "Ela controla a minha vida a ponto de me ligar toda noite para saber se eu tranquei as portas de casa. Ela adora dar conselhos, parece aqueles livros de sabedoria. Dá palpites sobre meus namorados. Nessa área, suas observações me deixam confusa. A impressão que eu tenho é de que, se depender dela, nunca vou me casar, porque ela só aprovaria um homem que fosse perfeito, e o homem perfeito não existe", contou.
A consideração entre elas era tamanha, que Xuxa a escolheu para ser madrinha de Sasha, sua única filha. Com o rompimento dos compromissos profissionais, cortaram também os laços de amizade. Desde então, nunca mais se falaram. O nome de Marlene é assunto proibido para a loira. Recentemente, ao avistar a antiga empresária em um shopping carioca, a apresentadora teria passado direto sem ao menos cumprimentá-la. Por sua vez, Marlene pretende falar sobre os anos ao lado da ex-amiga em um livro que pretende lançar ainda este ano. Independente do motivo que tenha encerrado uma parceria tão vencedora, a pergunta que fica é se Xuxa perdeu ou ganhou ao escolher caminhar com suas próprias pernas?
O jornalista José Armando Vanucci, crítico de TV e autor do blog “Parabólica”, acredita que a estrela precisava desse rompimento para crescer como pessoa. “Para assumir os riscos de seguir sua intuição, para testar novos diretores. Mais do que profissionalmente, foi muito importante para ela como ser humano. Para ela crescer e amadurecer diante do seu público”, explicou. Marcelo Rolla, professor do curso de pós-graduação em Gestão do Entretenimento da ESPM-RJ, concordou com o jornalista, mas fez uma ressalva. “Como celebridade ela ganhou muito mais. Com relação ao projeto de trabalho, o período com a Marlene era muito mais estruturado do que hoje”, analisou.


O fato é que após tomar as rédeas de sua carreira, Xuxa passou a se permitir mais e com tempo foi quebrando aquela imagem de mito inalcançável criado por sua antiga empresária. Mais segura e muito mais madura, abriu o coração em entrevistas, assumiu seus defeitos e deixou sua espontaneidade fluir livremente. “Ao mostrar suas fragilidades e fazer com que o público percebesse que ela era um ser humano como outro qualquer, ela se aproximou ainda mais do seu público”, afirmou Rolla.
Durante os últimos anos, houve quem dissesse que Marlene Mattos estava certa com relação ao esgotamento da fórmula de programas infantis na TV aberta. Mas, Rolla garante que, em algum momento da carreira, Xuxa teria que passar por uma crise. “Isso acontece com qualquer marca forte. Com ou sem a Marlene, comandando ou não um programa infantil, ela passaria por uma saturação que é natural com alguém que está há tanto tempo no mercado”, teoriza.


Nesses 25 anos em que ficou no ar, Xuxa formou uma verdadeira família com a ajuda de Marlene. Dezenas de ajudantes de palco fizeram parte de sua equipe. Nomes como a repóter do "TV Fama" Adriana Bombom, coreográfo Fly e até mesmo o ator Théo Becker tiveram a primeira oportunidade na telinha nos programas da loira. No total foram 28 paquitas, cinco paquitos e as gêmeas apelidadas de Irmãs Metralhas, Mariana e Roberta Richard. Boa parte desse efetivo deu seguimento à carreira artística.
Como a atriz Bárbara Borges, que fez parte da terceira geração de ajudantes de palco da “Rainha”. A loira deixou o grupo após quatro anos para pode investir na dramaturgia. “Eu passei no teste de uma peça do Oswaldo Montenegro e pedi para sair”, contou ao Famosidades. A carioca disse que nunca sofreu preconceito por ser ex-paquita. “Quando eu decidi investir na carreira de atriz a Letícia Spiller já era uma atriz de sucesso”, explicou.
Sorte de Bárbara. Antes de se tornar a maior estrela da teledramaturgia da Record, Bianca Rinaldi, que fez parte da segunda geração de meninas, viu muita gente torcer a cara quando descobriam que ela havia trabalhado com a apresentadora. “Muitas pessoas usavam o termo paquita pejorativamente. Como se a função fosse algo menor ou que eu achava que poderia ser atriz só porque tinha trabalhado com a Xuxa”, lembrou.


Ao contrário de Bárbara Borges, Bianca tomou um susto quando soube que teria que guardar a roupa de soldadinho e aposentar o chapéu. “Foi difícil pra mim porque eu não queria sair. Na época, não estava preparada para deixar de ser paquita”, confessou. Mas, a paulista não se arrepende de ter feito parte da turma da apresentadora. “Ter sido paquita me ensinou muita coisa. Eu aprendi a ter responsabilidade. O que eu aprendi naquele palco vai comigo até o fim da vida. Foi maravilhoso e até hoje eu colho frutos daqueles ensinamentos", afirmou.
Sempre que pode a atriz faz uma visitinha a antiga patroa. Monique Alfradique usa a mesma tática para matar a saudade do tempo em que vivia naquela fábrica de ilusões e faz o possível para não perder o contato com a apresentadora. “Quando sei que ela está gravando, sempre dou uma escapadinha até o estúdio para dar um beijo nela”, revelou. Integrante da quarta geração de assistentes de palco, a Bárbara do seriado “Lara com Z” tinha apenas 12 anos quando venceu mais de oito mil candidatas e entrou para o grupo. “Foi ótimo passar minha adolescência lá", disse. A jovem continuou ao lado da “Rainha” mesmo depois do grupo ter sido desfeito. “Foi em uma dessas participações que o Roberto Talma me viu e me convidou para fazer um teste para a 'A Lua me Disse'”, afirmou. Afinal, uma vez paquita, sempre paquita!

Fonte: MSN

3 comentários:

marcelographics disse...

Olá, gostaria de comartilhar meu cartoon em homenagem à Xuxa: CARICATURA- XUXA by Marcelographics http://wp.me/p11vaB-9c

Espero q o blog e todos os d+ gostem ;)

Abraços!

Moderador X disse...

Oi, Marcelo!
Muitoooooooooo legal o seu trabalho! Coisa de mestre! Claro que gostamos demais e vamos publicar, com a sua permissão, o desenho!
Grande abraço e seja muito bem-vindo ao NAVE DA XUXA!

Humberto disse...

Apesar de tudo gostava da parceria da Xuxa com a MM...
Foi estranho e triste mesmo a saída das paquitas em 1995...Tenho o DVD desse momento e percebo o quanto elas estavam assustadas e surpresas com a saída. Lembro da Priscilla bem revoltada, a mais intensa das paquitas...Só podia ser coisa da MM. rs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...