quarta-feira, 30 de junho de 2010

XOU DA XUXA: 24 ANOS DE XUXEXO!


E parece que foi ontem!
Assim como comentei no post de poucos dias atrás, sobre os 20 anos de Lua de Cristal, a gente quase não dá conta da passagem do tempo quando o assunto é a nossa Rainha e seu estrondoso sucesso.
Eu conto 29 anos, hoje. Mas ainda consigo me ver, lá em 1986, chorando as pitangas porque o programa A Turma do Balão Mágico havia terminado. Lembro-me de, aos 5 anos de idade, reclamar porque não veria mais o Fofão, o Jairzinho, a Simony e companhia. Minha irmã mais velha dizia: "Calma. Logo eles colocam um programa ainda mais legal pra você assistir. Você vai ver." Eu não acreditava. Achava que nada poderia ser mais legal que a Turma do Balão. Naquela época eu nem sonhava com a Rede Manchete e desconhecia por completo a existência da tal "Xuxa", que logo seria anunciada como a nova atração das manhãs globais.
Contentava-me, então, em assistir ao Bozo, no SBT, que sempre fora outro de meus favoritos.
Qual não foi a minha surpresa quando, em 30 de junho de 1986, vi aportar num cenário fantástico uma nave espacial que trazia uma nova e linda companhia para as minhas manhãs de desenho animado: era a loirinha Xuxa, com toda sua trupe, que invadia com toda sua energia e alto astral a programação matinal da plim-plim.
Nem preciso dizer que Xuxa me ganhou logo de cara, né? Duas semanas depois e eu nem me lembrava mais da Turma do Balão. Todo mundo na escola só comentava as brincadeiras do Xou, os desenhos animados do Xou, as músicas da Xuxa e tudo mais que se referisse àquele maravilhoso mundinho encantado a que fomos apresentados com a estreia do XOU DA XUXA.
Sem sombra de dúvida, a história dos programas infantis televisivos se divide em antes e depois do Xou. Sua fórmula imbatível foi copiada descaradamente por todas as emissoras, que recrutavam jovem ninfetas para transformá-las em suas "personal Xuxa", o que, em alguns casos, deu até certo (haja vista Mara Maravilha e Angélica), mas, numa infinidade de outros, revelavam-se verdadeiras tentativas frustradas.
E muito se engana quem pensa que o Xou foi copiado apenas aqui, no Brasil. A repercussão foi tanta que até na América latina começaram a pipocar cópias ainda mais descaradas e declaradas do que víamos por aqui, em terras tupiniquins.
Grande exemplo disso foi a argentina Patsy que, em seu programa "El clán de Patsy" e em seus discos copiava absolutamente TUDO do Xou! Uma vergonha, verdadeiramente.
Mas Patsy não foi a única. Havia Yuly, no Peru. Da mesma forma que a colega argentina, cantava versões de músicas de Xuxa e comandava um programa idêntico ao da Rainha em seu país.


A verdade é que Xuxa criou um novo conceito de programa infantil e esse conceito foi reproduzido a exaustão, justificando a decisão de nossa musa, em 1992, de "guardar" a fórmula que a consagrou para protegê-la de tantos plágios, tantas cópias mal feitas no Brasil e no exterior.

Saca só a cara de pau dessa tal Patsy... Tsc, tsc.


E a amiguita Yuli não fica atrás! Jajajajajajajajaja! =P

Fato é que, igual ao Xou, nunca houve nem haverá outro.Conquitou toda uma geração de baixinhos e sempre permanecerá em nossas melhores lembranças como um dos mais importantes e queridos elementos de uma infância pra lá de especial.
24 anos de uma história de sucesso que ainda tá longe de terminar.
Abaixo você confere alguns vídeos com vários rostos, momentos e cenários que marcaram a história do programa infantil de maior sucesso da televisão brasileira.







3 comentários:

TH disse...

Apesar de conhece/^-la da Manchente, não há como negar que a estreia da moça na Globo foi tão marcante que foi como se fosse mesmo inédita. Adorei o texto - reproduziu muito bem o âmago de fã. :)

TH disse...

Nossa...deixa eu consertar isso: MANCHETE e CONHECÊ-LA! rsrsrs

MCI disse...

Rs.
Eu nem tinha percebido! =)
A Globo é o grande marco na carreira de Xuxa, não adianta. A Manchete a projetou, mas a grande explosão da loira foi mesmo nos tempos da Vênus Platinada!
=)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...